Propostas Simples para chegar a lugares profundos


Sofia Silva

Sofia Silva

001

Trabalho a partir da ​relação intrapessoal e ​a relação do corpo ​com o espaço

desenvolvo o meu trabalho ​torno de vivências e questões ​pessoais presentes a cada ​momento da minha vida, ​privilegiando o Espaço, as ​Imagens e a Acção como ​elementos suporte para a ​concretização das ideias que ​advêm sobretudo de um sentir.

Woman in Black Knit Cap and Brown Shirt

Foto - Paulo Pimenta, Edição - Sofia Silva

Workshops e Laboratórios

004

Fotos - Luís Pais, Edição - Sofia Silva

Fotos- Pedro Barão da Cunha

Foto - Pedro Barão da Cunha

Sofia Silva

005

Fotos - Paulo Pimenta

Vejo a dança como um lugar de ​encontro com o Corpo e o ​Movimento, que co-habitam em ​corpos de pessoas mas também em ​outros “corpos” vivos, matérias e ​objectos, que se relacionam no ​Tempo e no Espaço, que podem ser ​“olhados”, interpretados e ​reconstruídos, a partir da percepção e ​sensação.

Nova Criação 2024/2025

006

Dança/Cine-Coreografia

projecto de criação em Dança que explora os “sinais internos” da sensação, ​como a dor ou o prazer, para chegar à percepção da realidade. Através de ​um conjunto de práticas corporais, pretende-se colocar o corpo como espaço ​de laboratório de sensações para activar zonas desconhecidas ou ​adormecidas na dimensão emocional.


Sofia Silva



Equipa

Apoios

Foto- Carlos Marecos, Edição - Sofia Silva

Direcção Artística e Coreografia - Sofia Silva

Realização - Luís Piranha

Música - Black Bambi

Apoio ao Processo Criativo - Tânia Damião

Fotografia - Pedro Barão da Cunha

Desenho de Luz e Direcção Técnica - Bruno Santos

Intérpretes - Sofia Silva em colaboração com os participantes ​dos laboratórios e utentes do CRID (Centro de Reabilitação e ​Inclusão de Deficientes)


Estúdios Victor Córdon

Estúdio ACCCA

Galeria Graça Brandão

Polo Cultural das Gaivotas

Sofia Silva

007

Foto - Pedro Barão da Cunha

Coreógrafa portuguesa, desenvolve o seu trabalho torno de vivências e questões pessoais presentes a cada momento ​da sua vida, privilegiando o Espaço, as Imagens e a Acção como elementos suporte para a concretização das ideias ​que advêm sobretudo de um sentir. Vê a dança como um lugar de encontro com o Corpo e o Movimento, que co-​habitam em corpos de pessoas mas também em outros “corpos” vivos, matérias e objectos, que se relacionam no ​Tempo e no Espaço, que podem ser “olhados”, interpretados e reconstruídos, a partir da percepção e sensação.

Inicia a sua actividade como coreógrafa em 1994, apresentando as suas peças na Quinzena da Dança de Almada, mais ​tarde 1999, quando termina a sua licenciatura em Dança na Escola Superior de Dança, dá inicio a um processo ​continuo na sua actividade de criação coreográfica. Entre 1999 e 2023, tem criado e dirigido projectos de sua autoria ​em colaboração com outros artistas e instituições, em Portugal e no Estrangeiro.

No final da sua licenciatura em Dança em 1999, a sua peça, de final de curso, foi seleccionada e apresentada no ​Fontys Dance Festival, na Holanda. Em 2000 foi convidada a criar uma peça para a Escola Superior de Dança, ​apresentada em 2001, Porto Capital Europeia da Cultura. Em 2004 cria a peça “ Branco” apresentada, em 2005, nos ​Festivais Escena Contemporánea, em Espanha e com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, apresenta também ​no Edinburgh Festival Fringe, na Escócia. Em 2007 cria a peça “Delicado” apresentada, nesse ano, em Luxemburgo ​Capital Europeia da Cultura e em 2008 em Ramallah Contemporary Dance Festival, na Palestina, prolongando a sua ​estadia na Palestina e em Israel fez a sua pesquisa para a criação “I Can’t “que viria a ser apresentada em 2009 na ​programação do MPPM (Movimento pelos direitos do Povo Palestiniano), e no Teatro da Politécnica, Lisboa *. Em ​2010 realiza as residências artísticas na Devir/Capa, no Algarve e na Madeira, onde dá aulas à Companhia Dançando ​com a Diferença, neste processo cria a peça “Veralipsi” apresentada no Instituto Franco- Português e recria esta peça ​com o nome de “Mute”, para a Galeria Graça Brandão, Lisboa. Em 2011 cria a peça transdisciplinar “Como podes ver o ​meu movimento se ele não é perceptível ao olhar”, na qual colabora com a artista plástica australiana Rochelle Haley. ​Em 2012 cria “A Cabra Bailarina”, apresentada na Fábrica das Artes/CCB, Centro Cultural de Ilhavo, Festival Dansul, ​entre outros*. Entre 2013 e 2015 cria “Tempo do Corpo”, apresentada no Centro Cultural de Ilhavo, Centro Cultural ​Vila Flor, Teatro Virgínia, Cine-Teatro de Estarreja, Auditório do Fundão, Centro Cultural do Cartaxo (Festival Materiais ​Diversos), Quartel das Artes e Teatro Municipal do Porto. Em paralelo foi convidada a criar várias peças para o ​projecto “ Breaking Walls With Culture” com 66 Jovens de Itália, Moldavia, Polónia, Portugal e Espanha. Em 2016 cria a ​peça “Natural”, dando origem a um filme documentário de Luís Piranha Gonçalves, apresentado no DocLisboa 2016. ​Em 2018 colabora com a companhia teatral “Inestética” com coreografia e movimento para peça “Noir” de Alexandre ​Lyra Leite, apresentada no Festival ContraDANÇA 2019 *. Em 2020 colabora com o compositor Carlos Marecos ​criando a coreografia para a peça musical “Tríptico” apresentada nos Festivais; Dança Invisível e Gaivotas em Marvila. ​Em 2021 cria a peça “ Interior Presente” apresentada no Festival Dança Invisível *. Em 2022 é convidada a criar um ​colectivo de dança contemporânea na instituição de saúde mental-CASP/SCMC, onde desenvolveu uma peça em ​2023, apresentada no Museu da Música Portuguesa *.


Contactos

008

Local

Lisboa

T​M

(+351) 919657249

Fotos - Pedro Barão da Cunha, Edição Sofia Silva

Email

sofiasilvapessoal@gmail.com

Simple proposals to reach deep places


Sofia Silva

Sofia Silva

001

I work from the ​intrapersonal ​relationship and the ​relationship between ​the body and space

I develop my work around ​personal experiences and ​issues present at every moment ​of my life, privileging Space, ​Images and Action as ​supporting elements for the ​implementation of ideas that ​come mainly from feeling.

Woman in Black Knit Cap and Brown Shirt

Photo - Paulo Pimenta, Editing - Sofia Silva

Workshops and Laboratories

004

Photos - Luís Pais, Editing - Sofia Silva

Photos- Pedro Barão da Cunha

Photo - Pedro Barão da Cunha

Sofia Silva

005

Photos - Paulo Pimenta

I see dance as a place of encounter ​with Body and Movement, which co-​inhabit people's bodies but also other ​living “bodies”, materials and objects, ​which are related in Time and Space, ​which can be “looked at”. ”, ​interpreted and reconstructed, based ​on perception and sensation.

New Creation 2024/2025

006

Dance/Cine-Choreography

Dance creation project that explores the “internal signs” of sensation, such as ​pain or pleasure, to reach the perception of reality. Through a set of bodily ​practices, the aim is to place the body as a laboratory space for sensations to ​activate unknown or dormant areas in the emotional dimension.


Sophia Silva



Team

Support

Photo- Carlos Marecos, Editing - Sofia Silva

Artistic Direction and Choreography - Sofia Silva Director - Luís ​Piranha Music - Black Bambi Support for the Creative Process - ​Tânia Damião Photography - Pedro Barão da Cunha Lighting ​Design and Technical Direction - Bruno Santos Interpreters - ​Sofia Silva in collaboration with laboratory participants and users ​from CRID (Center for Rehabilitation and Inclusion of Disabled ​Persons)


Victor Córdon Studios ​ACCCA Studio Graça ​Brandão Gallery Gaivotas ​Cultural Center

Sofia Silva

007

Portuguese choreographer, she develops her work around personal experiences and issues present at every moment ​of her life, privileging Space, Images and Action as supporting elements for the implementation of ideas that come ​mainly from a feeling. Sees dance as a place of encounter with Body and Movement, which co-inhabit people's bodies ​but also other living “bodies”, materials and objects, which are related in Time and Space, which can be “looked at”. ”, ​interpreted and reconstructed, based on perception and sensation.

She began her activity as a choreographer in 1994, presenting her pieces at the Quinzena da Dança de Almada, later in ​1999, when she finished her degree in Dance at the Escola Superior de Dança, she began a continuous process in her ​activity of choreographic creation. Between 1999 and 2023, he has created and directed projects of his own in ​collaboration with other artists and institutions, in Portugal and abroad.

At the end of his degree in Dance in 1999, his final piece was selected and presented at the Fontys Dance Festival, in ​the Netherlands. In 2000 she was invited to create a piece for the Escola Superior de Dança, presented in 2001, Porto ​European Capital of Culture. In 2004 he created the play “White”, presented in 2005 at the Escena Contemporánea ​Festivals, in Spain and with the support of the Calouste Gulbenkian Foundation, he also performed at the Edinburgh ​Festival Fringe, in Scotland. In 2007 he created the piece “Delicado” presented, that year, in Luxembourg European ​Capital of Culture and in 2008 in Ramallah Contemporary Dance Festival, in Palestine, extending his stay in Palestine ​and in Israel he did his research for the creation “I Can 't “which would be presented in 2009 in the programming of ​the MPPM (Movement for the rights of the Palestinian People), and at the Teatro da Politécnica, Lisbon *. In 2010, he ​held artistic residencies in Devir/Capa, in the Algarve and Madeira, where he teaches at Companhia Dançado com a ​Diferença, in this process he creates the piece “Veralipsi” presented at the Franco-Portuguese Institute and recreates ​this piece under the name “ Mute”, for Galeria Graça Brandão, Lisbon. In 2011, he created the transdisciplinary piece ​“How can you see my movement if it is not perceptible to the eye”, in which he collaborates with Australian artist ​Rochelle Haley. In 2012 he created “A Cabra Bailarina”, presented at Fábrica das Artes/CCB, Centro Cultural de Ilhavo, ​Festival Dansul, among others*. Between 2013 and 2015 he created “Tempo do Corpo”, presented at the Centro ​Cultural de Ilhavo, Centro Cultural Vila Flor, Teatro Virgínia, Cine-Teatro de Estarreja, Auditorium do Fundão, Centro ​Cultural do Cartaxo (Festival Miscellaneous Materials), Quartel das Artes and Porto Municipal Theatre. In parallel, she ​was invited to create several pieces for the “Breaking Walls With Culture” project with 66 young people from Italy, ​Moldova, Poland, Portugal and Spain. In 2016 he created the play “Natural”, giving rise to a documentary film by Luís ​Piranha Gonçalves, presented at DocLisboa 2016. In 2018 he collaborated with the theater company “Inestética” with ​choreography and movement for the play “Noir” by Alexandre Lyra Leite, presented at the ContraDança 2019 Festival ​*. In 2020 he collaborated with composer Carlos Marecos creating the choreography for the musical piece “Tríptico” ​presented at the Festivals; Invisible Dance and Seagulls in Marvila. In 2021 he created the piece “Interior Presente” ​presented at the Festival Dança Invisível *. In 2022, she was invited to create a contemporary dance collective at the ​mental health institution-CASP/SCMC, where she developed a piece in 2023, presented at the Portuguese Music ​Museum *.


Photo - Pedro Barão da Cunha

Contacts

008

Local

Lisbon

TM

(+351) 919657249

Photos - Pedro Barão da Cunha, Sofia Silva Edition

Email

sofiasilvapessoal@gmail.com